Assembleia dos professores, nesta sexta, vira artilharia pesada contra Paulo Garcia, o PT e o Sintego

O movimento dos professores municipais massacrou o prefeito Paulo Garcia (PT) na assembleia desta sexta-feira, no Cepal do setor Sul, em plena chuva.

Em discursos inflamados, os professores disseram que “Paulo Garcia destruiu os sonhos dos professores, pais e filhos”.

Conforme o comando de greve, Paulo não investe corretamente os recursos públicos e demonstra incompetência quando, em vez de superávit, apresenta déficit de caixa na Prefeitura de Goiânia para justificar o não atendimento às revindicações dos professores.

O Sintego também foi alvo dos ataques. O sindicato, que representa os trabalhadores na educação, ficou contra o movimento grevista municipal e deu apoio ao prefeito Paulo Garcia.

A chuva que caiu nesta manhã não atrapalhou a mobilização dos professores municipais.