Em artigo n’O Popular, Paulo Garcia cita dados fictícios e pesquisas inventadas sobre a qualidade de vida em Goiânia

Em um escorregão incompatível com a responsabilidade do cargo que ocupa, o prefeito Paulo Garcia (PT) publica artigo em O Popular, nesta quinta-feira, sobre o aniversário de Goiânia, citando dados fictícios e pesquisas que ninguém jamais viu.

Paulo repete, por exemplo, que “os goianienses vivem na capital mais arborizada do Brasil”.

Essa afirmação não pode ser cientificamente comprovada. Na verdade, trata-se de um mote inventado na administração do prefeito Iris Rezende (PMDB), que “comprou” esse título – “cidade mais arborizada do Brasil” – de um instituto picareta e o usou para turbinar a publicidade da sua gestão.

Outra frase de Paulo Garcia, no artigo, garante que “os goianienses dispõem da melhor infraestrutura urbana do país”.

De novo, trata-se de uma afirmação que também não pode ser fundamentada. Não há como comparar cidades nesse quesito, porque os dados são relativizados em termos de tamanho da população, geolocalização e dezenas de outros itens. Baseado em quê o prefeito diz que “os goianienses dispõem da melhor infraestrutura urbana do país”?

Por fim, novo chute. Paulo Garcia assegura que “reiteradas pesquisas atestam que (…) Goiânia é sinônimo de qualidade de vida”.

Falso. Essas “reiteradas pesquisas” não existem. Se existissem e se fossem produzidas por institutos de credibilidade, é claro que o prefeito faria a citação específica. Não o fez, no artigo, porque, lembrando mais uma vez, simplesmente não existem. Quem já ouviu falar ou viu essas pesquisas?

Um prefeito de uma cidade como Goiânia não tem o direito de publicar um artigo, na página de opinião do mais importante jornal do Estado, fazendo afirmações que não são verdadeiras.