Editorial de O Popular condena forma com que Paulo Garcia e Maguito conduzem a Saúde Pública

O modelo vapt-vupt de Saúde Pública implantada por Paulo Garcia e Maguito Vilela foi condenado em editorial do jornal o Popular desta terça-feira.

Veja:

Atenção nota zero

Este jornal publicou reportagem mostrando que o atendimento a grande parte dos pacientes que recorre a consultas no sistema público de saúde é cada vez mais deficiente em termos de atenção. A reportagem registrou, entre outros, o caso absurdo de uma mulher cujo atendimento durou exatamente apenas 37 segundos. Como pode sair em um tempo tão escasso um diagnóstico confiável?
A investigação revelou que se mantém um quadro já denunciado pelo POPULAR há mais de dois anos, quando visitas a unidades públicas de saúde permitiram identificar a existência de consultas relâmpago. Desta vez, uma das pacientes afetadas foi a doméstica Maria de Nazaré, que há oito meses sofre de desmaios, tonturas e dores no corpo. Ela já peregrinou por vários postos de saúde, mas até hoje não obteve um diagnóstico para seu problema.
O Conselho Regional de Medicina de Goiás (Cremego) afirma que 30 segundos não são suficientes sequer para “um bom dia” e que é inadmissível um atendimento tão rápido. A rede hospitalar pública sofre terríveis carências e está congestionada por uma demanda que cresce muito e que inclui também pacientes vindos do interior, onde a assistência é ainda muito pior. Há erros acentuados e crônicos do próprio sistema que precisam ser erradicados. E isto pede urgência, pois a saúde é direito inalienável e inadiável.