Apesar do Flamboyant ser grande anunciante, Popular mostra repercussão negativa do aumento do estacionamento

Veja matéria do jornal O Popular:

Estacionamento no Flamboyant

Reajuste tem repercussão negativa

Usuários do centro de compras foram às redes sociais para se manifestar. Até boicote está sendo organizado

(Ludmilla Morais e Helder Barbosa, do Jornal Daqui) 04 de janeiro de 2014 (sábado)
O novo valor do estacionamento no Flamboyant, que agora considera o tempo de permanência em minutos, provocou repercussão negativa nas redes sociais ontem. A notícia foi publicada com exclusividade na edição de ontem do POPULAR.

O reajuste no valor pegou os clientes de surpresa. A mudança no preço do estacionamento e o modo do cálculo vale desde o dia 1º. Com os novos preços praticados, usar o estacionamento por 3 horas teve acréscimo de 86%.

A jornalista Gisely Silveira publicou, em sua conta do Twitter, que ficou surpresa com o novo reajuste. “Estou horrorizada, fui ao Flamboyant hoje (ontem) e notei que a taxa de estacionamento é cobrada por minuto, em 1h30 que fiquei lá paguei 4,50… É um absurdo!”, escreveu.

Há muitas pessoas compartilhando folhetim no Facebook organizando boicote ao shopping. José Reinaldo Machado pediu para que seus amigos da rede social compartilhassem a foto. “Façamos nossa parte, um abuso, mais de 80% de aumento no estacionamento. Vamos agir contra, só com o valor pago pelos usuários, o shopping arrecada proporcionalmente mais do que com o aluguel das lojas. São mais de R$ 8 milhões por mês só em estacionamento. Compartilhe isso. Boicote ao Flamboyant”, pedia ele.

Sem mudanças

Depois do impacto do anúncio do reajuste do preço do estacionamento, os lojistas do Flamboyant não estão preocupados com a possível diminuição do movimento de clientes. É o que aponta o presidente da Associação dos Lojistas do Flamboyant (Aslof), José Carlos Palma Ribeiro, que também é presidente do Sindlojas.

“Eu assustei quando vi o aumento, mas depois entendi que ficou mais justo”, disse. Palma explicou que a grande maioria dos clientes do shopping fica no estabelecimento por até duas horas, e que agora, eles vão pagar pelo período que usaram.

“Antes, quem ficava 25 minutos pagava R$ 4,50, o mesmo preço de quem ficava até 3 horas. Agora, quem ficar 1 hora, por exemplo, vai pagar menos, cerca de R$ 3”, afirmou. Ele disse que passou o dia fazendo pesquisa com os clientes e funcionários do shopping e constatou que não houve queda no número de visitantes.