Obras de Paulo Garcia são mal feitas, custaram caro e só agravaram os problemas que assolam Goiânia, dizem urbanistas

Os urbanistas ouvidos por O Popular, na matéria que avaliou o primeiro ano da gestão de Paulo Garcia (PT), publicada nesta segunda-feira, foram unânimes na opinião de que as obras da Prefeitura são mal feitas, tiveram custo alto e em nada contribuíram para resolver os problemas que perturbam a vida dos moradores de Goiânia.

“Uma prova disso é que, depois de gastar muito dinheiro na ciclovia da Avenida Universitária, praticamente não se vê a população a utilizando. O dinheiro (da Prefeitura) está muito solto, mal aplicado”, diz na reportagem o presidente do Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU) de Goiás, John Mivaldo.

Já o presidente do Instituto dos Arquitetos do Brasil (IAB) em Goiás, Eurípedes Monteiro, aborda a questão dos corredores de transporte coletivo implantados por Paulo Garcia nas avenidas Universitária e T-63, com faixa exclusiva para ônibus e implantação de ciclovia: “As obras têm falhas graves, como a implantação de pistas para bicicletas paralelas às faixas dedicadas aos ônibus”, diz o arquiteto.

O presidente do CAU, John Mivaldo, ainda complementa: “Além de problemas físicos, as intervenções feitas em Goiânia apresentam baixa qualidade na hora de resolver os problemas da cidade. Falta planejamento, um plano de mobilidade. É preciso consultar a população para saber onde é necessário uma ciclovia ou um corredor e não construí-la onde os especuladores querem”, denuncia.