Vendas de terrenos vão valorizar região e favorecer o mercado imobiliário, denuncia jornal Popular

Veja matéria do jornal O Popular:

Doações estruturam ‘centro de poder’

06 de janeiro de 2014 (segunda-feira)
Três lotes localizados no Park Lozandes serão doados para o Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) e Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO), que ficará com dois. Um outro terreno será cedido para a Associação Comercial, Industrial e de Serviços do Estado de Goiás (Acieg). A entidade, por ser privada, não pode receber doação, apenas cessão para uso.

A ida destes e de outros órgãos públicos, como a Assembleia Legislativa do Estado de Goiás, o Fórum Civil do Tribunal de Justiça (ambos prédios em construção), para o setor que já abriga o Ministério Público Federal (MPF) e o Paço Municipal – sede administrativa que concentra a maioria dos órgãos da Prefeitura – está criando um “bairro do poder”. Tal fato tem efeitos colaterais: dois deles são a interesse do mercado imobiliário, com consequente valorização de terrenos e imóveis próximos, e um boom no trânsito de pessoas e veículos.

Investimentos

A Prefeitura não admite, mas é tido como certo que estas áreas a serem colocadas à venda serão adquiridas pelo mercado imobiliário, como O POPULAR já mostrou em reportagens anteriores. No final de 2011, quando a administração municipal tentou pela primeira vez desafetar estas e outras áreas (70, na época), o presidente da Associação das Empresas do Mercado Imobiliário de Goiás (Ademi-GO), avaliou que o metro quadrado no Park Lozandes valeria entre R$ 1,5 mil e R$ 3 mil. Dois anos se passaram e o preço dos imóveis em Goiânia não parou de crescer.

Na pior estimativa, os três terrenos renderiam à Prefeitura R$ 90 milhões – quase um terço dos R$ 300 milhões que pretende arrecadar com a venda de cerca de 200 mil metros quadrados de chão. O secretário municipal de Desenvolvimento Urbano Sustentável, Nelcivone Melo, afirma que o Município ainda não sabe o valor das áreas que pretende vender. O cálculo será feito pela Comissão de Avaliação de Imóveis do Município de Goiânia após a aprovação do projeto, caso isso venha a acontecer.

As vendas serão por meio de concorrência pública, o que tem potencial para aumentar o preço, caso haja muitos interessados. E o dinheiro já tem destinação: urbanização do Parque do Cerrado, no próprio bairro – o que vai valorizar ainda mais os terrenos -, construção ou aquisição de hospital, da sede da Secretaria Municipal de Educação, duplicação de vias, construção de viadutos também naquela região e a implantação dos corredores de transporte coletivo nas avenidas 85, T-7, T-9 e 24 de outubro.