Surreal: vereadores mantêm veto a projetos que eles próprios apresentaram

Na foto acima: líder do prefeito na Câmara Célia Valadão (PMDB), que agradeceu “compreensão” dos colegas

Imagine só uma situação curiosa: um vereador apresenta um projeto; o projeto é aprovado pela Câmara, mas vetado pelo prefeito. Em função do veto, o projeto volta ao plenário. Daí, para finalizar, o mesmo vereador que apresentou o projeto vota a favor da manutenção do veto.

Foi o que aconteceu hoje na Câmara Municipal de Goiânia. A Casa manteve veto do Paço a 98 emendas dos vereadores ao Orçamento para 2013. Somente duas das 100 emendas não foram vetadas. Os vetos foram mantidos pelo placar de 21 a seis. A líder do prefeito na Casa, Célia Valadão (PMDB), agradeceu a “compreensão” dos colegas.

“Não compreendo o poder Legislativo no Brasil. Ele tem atribuição de aprovar lei orçamentária, LDO e PPA, de determinar onde aplicar os recursos. Aí damos ao prefeito a condição de remanejo e o orçamento vira uma peça de ficção, porque o prefeito faz o que quiser”, lamenta o vereador Elias Vaz (PSol). “Isso não é relação republicana. Temos a prerrogativa de decidir onde vai entrar o recurso. Eu não fiz emenda. Não perco tempo com isso.”

O vereador Virmondes Cruvinel (PSD) também fez um alerta aos pares. “Pensem antes de vender o seu mandato e a consciência em troca de dois ou três cargos na prefeitura de Goiânia. Não se esqueçam da carrada de votos que receberam”. Até o vereador Paulo Magalhães (PV), que é da base aliada de Paulo Garcia, reconheceu a gravidade do assunto: “vamos fazer uma reunião para falar disso”.