Matou a pau: Procon avisa que, sem apoio da Justiça, não dá para punir postos de gasolina em Goiânia

Esclarecedora a entrevista da superintendente do Procon em Goiás, Darlene Araújo, ao jornal Anhanguera Primeira Edição nesta quinta-feira. Aos telespectadores que enxergam com desconfiança o trabalho de fiscalização do órgão e que costumeiramente perguntam o que ele faz de efetivo na defesa do consumidor, Darlene deu uma resposta primorosa e objetiva: quem pune é a Justiça.

O recado é claro: sem o apoio da Justiça, não há como punir os donos de postos de gasolina que praticam cartel ou preços abusivos na Capital. Ao Procon, cabe fiscalizar. Aos homens e mulheres de toga, punir. A bola está com os senhores juízes.