AD

Veja lista de 16 obras que Iris prometeu retomar, mas não retomou

O jornal O Popular desta quinta-feira revela que o prefeito Iris Rezende (MDB), descumpriu a promessa feita dois meses atrás de retomar 16 das 47 obras paralisadas da prefeitura de Goiânia. Estas 16 foram consideradas prioritárias. O compromisso era de reativá-las num prazo máximo de 15 dias. Isto só aconteceu em duas.

Apesar de ter recursos garantidos via governo federal, a maior parte das construções segue na mesma situação.

Veja quais são as obras que a prefeitura prometeu retomar, mas não retomou:

CASA DE VIDRO
Foi lançada em 2010 com pompas pelo então prefeito Paulo Garcia (já falecido) e pela hoje primeira-dama Dona Iris, idealizadora do projeto. Foi abandonada um ano depois, com 7% de conclusão. Em maior de 2015 houve promessa de retomada, sendo realizada a limpeza da área. No final de 2016, nova promessa de remodelar o projeto. Em abril, Iris prometeu retomá-la, mas não o fez.

MARGINAL BOTAFOGO
O prolongamento entre a Jamel Cecílio e a Segunda Radial foi iniciado em 2015. Em 2016, apenas foi concluída a ponte da rua 1018. As obras ficaram para ser retomadas em 2017, mas continuou parada. Ainda aguarda licitação.

MARGINAL CASCAVEL
O trecho entre a Castelo Branco e a Leste-Oeste foi iniciado em 2015. Em menos de seis meses a obra foi paralisada. Já em 2017, a gestão atual licitou outro trecho, entre a T-2 e a avenida Alpes. Mas ficou nisso.

CORREDOR T-7
Iniciado em 2015, era para ser finalizado no mesmo ano, mas ficou para 2016. Nem com o adiamento a obra ficou pronta, e foi paralisada no fim da gestão Paulo Garcia. Em 2017, chegou a ser anunciada retomada em setembro, mas não ocorreu.

MATERNIDADE OESTE
Iniciada em 2016, tinha a previsão de ser finalizada em meados de 2017. A obra ficou parada e sua retomada foi anunciada em setembro do ano passado. A previsão era de entregar até meados de 2018. Houve nova paralisação e o Paço poderá ter de devolver recursos.

URBANIZAÇÃO DO ENTORNO DA PARÓQUIA STO. ANTÔNIO
A verba para o projeto foi liberada em 2016, mas não houve licitação. O processo ocorreu em 2017, com recursos garantidos. No entanto, a obra continuou sem qualquer movimentação. Paço não estima quando ela será realizada e concluída.

CORREDORES 85, T-63, T-9, 24 DE OUT. E INDEPENDÊNCIA
Projetados desde 2014, os corredores chegaram a ser licitados. Sem garantia de recursos federais, a gestão passada não assinou ordem de serviço. Nova licitação deveria ser refeita, com readequação de projetos. Os mesmos já estão prontos, mas ainda não tiveram licitações liberadas por Iris.