Com medo de Kajuru e Elias, Silvio Fernandes desiste de vaga na Câmara

Aguardado com ansiedade pela oposição depois de dizer que a Câmara Municipal agiu por “interesses escusos” ao arquivar o pacote de maldades que ele mandou para alterar a previdência dos servidores da prefeitura, o presidente do Instituto de Previdência do Município (IPSM) e primeiro suplente de vereador da “Coligação da Confiança, Silvio Fernandes (DEM), desistiu de assumir o assento que ficou vago com o pedido de licença do vereador Cabo Senna (PRP). 

O que se comenta é que Silvio está com medo de eventuais embates com Elias Vaz (PSB), Jorge Kajuru (PRP) e outros bons oradores da Casa.

Silvio falou tanta besteira que até o presidente da Câmara e aliado da prefeitura, Andrey Azeredo (MDB), o condenou. Andrey criticou o presidente do IPSM pelo “uso de falácias” e disse que ele cometeu “erros crassos”.

Entre as mudanças propostas por Silvio estava o aumento da alíquota de contribuição previdenciária de 11% para 14%. Com a desistência dele, quem deve assumir mandato na Câmara é o segundo suplente da coligação, Alfredo Bambu (PRP). O pedido de licença de Cabo Senna terá duração de pelo menos 125 dias.