Petistas de Goiás fazem festa com decisão (já anulada) de soltar Lula

Cientes de que duraria poucas horas a decisão do desembargador substituto Rogério Favreto, do Tribunal Regional da 4a. Região, de soltar Lula numa manhã de domingo, para surpresa do País, a claque do PT de Goiás correu para anunciar a boa-nova nas redes sociais.

A candidata do PT a governadora, Kátia Maria dos Santos, disse que o ex-presidente é um “preso político” e que seu encarceramento foi “injusto e arbitrário”. O deputado estadual Luis Cesar Bueno afirmou que a soltura era “pra valer”. Não era.

A estratégia do PT foi usar ele habeas corpus sem pé nem cabeça para reavivar o debate já esquecido sobre o fato de Lula merecer ou não estar preso. Ao petismo interessa incendiar o Brasil e manter acesa a polarização entre “eles e nós”, para que o partido não morra.