No DM: subserviência de Andrey ao casal Iris enfraqueceu Câmara de Goiânia

A reportagem deste sábado do jornal Diário da Manhã que relata as articulações do grupo de 21 vereadores para eleger um presidente para a Casa que restabeleça a autonomia do Legislativo revela a profunda decepção do bloco com a condução dos trabalhos pelo atual comandante da mesa diretora, Andrey Azeredo, do MDB do prefeito Iris Rezende e da primeira-dama Iris Araújo.

O DM explica que a candidatura de Andrey fez água depois que ele tentou ampliar seu mandato de presidente em 30 dias e que mesmo o plano B de Iris para a disputa, o vereador Tiãozinho Porto (PROS), é considerado inapropriado para a proposta de uma Câmara de Goiânia autônoma.

“Andrey e Tiãozinho são da nova safra de vereadores e, por isso mesmo, eram a aposta da garantia de autonomia da Câmara de Goiânia”, diz a reportagem. “Os representantes da renovação pregam a transparência total dos atos da mesa e o estrito respeito ao Regimento Interno da Casa, conjunto de regras que determina o rito de tramitação, apreciação e votação dos projetos de lei de autoria da Prefeitura e dos próprios vereadores”, revela o texto do DM.