Está difícil para Andrey e Tiãozinho: grupo dos 21 está coeso e avança na composição da Mesa Diretora

O prefeito Iris Rezende (MDB) está tendo de rever seus planos de reeleger o vereador Andrey Azeredo, também emedebista, para a presidência da Câmara de Goiânia. O grupo dos 21, que que eleger uma mesa diretora autônoma mas que não atrapalhe a gestão municipal, reforçou a coesão interna na semana que passou, em boa parte como reação à tentativa de Iris de ingerir no processo.

Reportagem deste sábado do jornal Diário da Manhã relata o fortalecimento do grupo, que também não recebeu bem o plano B de Iris a Andrey: o vereador Tiãozinho Porto, do PROS, considerado com o mesmo perfil do atual presidente, um mero despachante do Paço Municipal, que daria continuidade a uma mesa diretora subserviente às vontades de Iris e da primeira-dama e candidata derrotada para a Câmara Federal Iris Araújo.

“As investidas do Paço Municipal para forçar a reeleição de Andrey Azeredo (MDB) para a Presidência da Câmara de Goiânia fortaleceram ainda mais o grupo de 21 vereadores que se articula para eleger um nome autônomo em relação ao Paço Municipal”, diz o DM.

Segundo a reportagem, a tentativa de Andrey de prolongar seu mandato, a demissão de servidores comissionados ligados ao Legislativo e o adiamento da reforma do Secretariado como instrumento de pressão para negociação de apoio para o candidato do prefeito Iris Rezende (MDB) reaforçaram as convicções de que a Casa precisa de um presidente autônomo, que ao mesmo tempo não faça oposição nem atrapalhe o Paço Municipal.