Paulo Garcia se recusa a debater Plano Diretor, mas diz que críticas são “estéreis”

O prefeito Paulo Garcia (PT) adota um comportamento enigmático quando o assunto é Plano Diretor. Imposto goela abaixo na Câmara Municipal há duas semanas, o novo Plano ainda fomenta bate-bocas nas redes sociais.

Apesar de nunca ter apresentado os tais estudos técnicos que, segundo ele, comprovariam a viabilidade das alterações que a prefeitura patrocinou no PD, que rege o ordenamento urbano de Goiânia, Paulo reclama dos críticos e diz que todas as ponderações feitas a respeito das decisões dele são “estéreis” e “vazias”.

Sugestão ao prefeito: se quer mesmo qualificar o debate, que apresente os estudos técnicos da prefeitura. Por que não apresentá-los? Eles, por acaso, não existem?

Veja os posts:

  1. Para discutir desenvolvimento sustentável é preciso conhecimento e leitura sobre o tema, senão o debate fica vazio e estéril .

  2. Proposto o adensamento misto dos espaços urbanos . Isto é adotado por todas cidades sustentáveis .

  3. Plano diretor atual obriga aumento de área verde e de captação de água pluvial . Não era assim . Tem muita gente falando do que não leu .

  4. Alterações do plano diretor obrigam a partir de agora estudos conclusivos de impacto ambiental, de trânsito e de vizinhança . Não era assim.

  5. Estamos disseminando um conceito que ninguém abordava até o Ana passado . Desenvolvimento sustentável . Até a oposição já defende a tese .