Vereadores que votaram contra reestruturação administrativa da Câmara têm obrigação moral de rejeitar novos cargos

Os cinco vereadores que votaram contra o projeto de reestruturação administrativa apresentado pela nova mesa diretora da Câmara de Goiânia nesta quarta-feira (20) têm a obrigação moral de rejeitar os cargos criados junto às mudanças.

Andrey Azeredo (MDB), Oséias Varão (PSB), Paulinho Graus (PDT), Sargento Novandir (Podemos) e Felisberto Tavares (PR) votaram contra. Clécio Alves (MDB) se absteve. Eles são a chamada base teleguiada do prefeito Iris Rezende (MDB) e, portanto, não querem um Legislativo autônomo e independente.

Querem uma Câmara de Goiânia agachada ao Paço Municipal, como era quando Andreyzinho era presidente.