Exclusivo: Samuel Belchior tenta afastar Adib e outros aliados de 1ª hora de Caiado da equipe de transição

O Goiás 24 Horas apurou que o ex-deputado Samuel Belchior é o culpado pela turbulência no processo da formação da equipe de transição do governo de Ronaldo Caiado (DEM). Eminência parda do staff caiadista, Samuel está em rota de colisão com o prefeito de Catalão e coordenador-geral da campanha, Adib Elias (MDB), que também reivindica para si o comando da equipe. 

Único feito de Roberto Naves como prefeito de Anápolis foi… ressuscitar Gomide

As trapalhadas político-administrativas de Roberto também ressuscitaram o morto-vivo Antônio Gomide (PT), que em 2014 teve uma votação pífia para governador e, em 2016, não conseguiu reeleger o seu sucessor. Gomide alcançou surpreendentes 26.766 votos para deputado estadual e voltou ao jogo com força renovada. 

Daniel quer ser candidato a governador em 2022. Resta saber por qual partido

 O emedebismo está todo inclinado a declarar apoio ao governador eleito Ronaldo Caiado (DEM), apesar de tê-lo combatido na eleição. O único empecilho à adesão é Daniel, que ainda preside a legenda. O caminho natural é o MDB aderir ao governo agora e apoiar a reeleição de Caiado em 2022. Ou seja: não há espaço para Daniel nos planos da parcela majoritária do partido. 

Leonardo Vilela queria vaga no TCM. Teria conseguido, se tivesse sido um secretário razoável

Leonardo teria conseguido a sinecura que almejava se tivesse sido um secretário razoável, pelo menos. Mas o seu comportamento errático na pasta pôs o plano a perder. Leonardo assistiu calado à desconstrução do maior legado dos governos de Marconi Perillo: o atendimento de excelência nos hospitais públicos. 

Calado diante dos problemas da Saúde, Leonardo Vilela é a maior decepção deste governo

A 2ª edição jornal Anhanguera deste sábado foi quase toda dedicada a falar da interdição do Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo) e da falta de higiene/coleta irregular de lixo no Hospital de Trindade (Hutrin). O mais curioso da reportagem é que não há uma única fala do secretário estadual de Saúde, Leonardo Vilela.

Daniel vai para a iniciativa privada e depois disputará o governo em 2022, diz Opção

Na coluna “Bastidores”, o Jornal Opção afirma que o deputado Daniel Vilela (derrotado na disputa do governo estadual) deve ir para a iniciativa privada, mas sem abandonar a política. Muito se fala que o filho de Maguito pode brigar pela prefeitura de Goiânia em 2020. Um aliado dele disse ao Jornal Opção que essa possibilidade não existe.

Fio Direto: Maguito e Mendanha sofrem derrota amarga em Aparecida

A coluna Fio Direto, no Diário da Manhã, afirma que Maguito Vilela e o prefeito Gustavo Mendanha experimentaram uma amarga derrota em Aparecida de Goiânia. Agenor Mariano (Senado), Iris de Araújo (deputada federal), Max Menezes (deputado estadual) e Ozair José (deputado estadual) foram todos derrotados na eleição.

Roberto Naves saiu enfraquecido da eleição, mostra coluna Giro

A coluna Giro, de O Popular, diz que o PT anapolino já pensa na eleição para prefeito em 2020. A análise dos petistas é que o prefeito Roberto Naves (PTB) saiu muito enfraquecido do pleito deste ano. O deputado eleito mais votado na cidade foi o petista Antônio Gomide e o deputado Carlos Antônio, aliado de Naves, não foi reeleito.

Giro: tucanos querem derrubar Vecci do comando do PSDB

O péssimo desempenho do PSDB goiano na eleição deste ano tem tudo para resultar em mudança no comando do partido. Deputados eleitos e não eleitos preparam um levante contra o presidente do partido, Giuseppe Vecci. A informação é da coluna Giro, de O Popular, neste domingo. Deputado federal reeleito, Célio Silveira afirmou que o partido não pode continuar “sendo um partido de cúpula”, caso contrário será extinto.

Goianésia: 2018 mostrou que disputa PSDB x MDB está perto do fim

Em 2014 e nas eleições estaduais anteriores, PSDB e MDB dividiram ao meio os votos na disputa por vagas na Assembleia Legislativa. Há quatro anos, por exemplo, Renato de Castro (MDB) teve 12 mil votos e Helio de Sousa (PSDB) 10,1 mil. Mas em 2018 tudo mudou, num presságio de que a polarização entre os dois partidos está perto do fim – se é que já não acabou.

Apoio de Renato de Castro a forasteiro garante votação histórica a Helio de Sousa 

Renato é adversário de Helio, mas ajudou-o como nenhum outro aliado poderia ajudar. O erro foi quebrar a tradição de o prefeito apoiar um candidato com raízes no município e declarar apoio a um forasteiro, no caso Lineu Olímpio (ex-prefeito de Jaraguá). O povo de Goianésia não aceitou a traição e despejou em Helio os votos que historicamente são do MDB local.

Apoio de Roberto Naves faz votação de Carlos Antônio cair pela metade em Anápolis

A derrota do deputado estadual Carlos Antônio (PTB), que tentou a reeleição, merece ser creditada ao prefeito de Anápolis, Roberto Naves (PTB), que era o seu principal cabo eleitoral. A fragilidade política de Naves e sua gestão mal avaliada fizeram com que Carlos Antônio tivesse apenas 8,6 mil votos no município, que é a sua principal base eleitoral. Em 2014, ele amealhou o dobro: 16,4 mil. 

Zé Simão debocha de Kajuru e o nivela a Tiririca e Alexandre Frota

O jornalista José Simão, colunista da Folha de S. Paulo, debochou do senador eleito Jorge Kajuru (PRP) e o comparou a gente quinta categoria que também conquistou mandato nas urnas em 2018, como o ator pornô Alexandre Frota e o palhaço Tiririca. Simão diz os três estarão no próximo reality show A Fazenda, transmitido pela TV Record e famoso pelas cenas de baixaria homéricas. 

Em vídeo, ministro Alexandre Baldy declara apoio a Bolsonaro. Assista

O goiano Alexandre Baldy, ministro das Cidades, declarou apoio a Jair Bolsonaro (PSL) no segundo turno das eleições para presidente da República. Na visita ao candidato, Baldy levou o senador eleito Vanderlan Cardoso (PP), o deputado federal eleito Professor Alcides (PP) e o deputado Heuler Cruvinel (PP). 

Com vergonha de se assumir adesista, Talles fala em fazer “oposição construtiva” a Caiado

No poder Legislativo de qualquer rincão do Brasil, quando um parlamentar adversário adere ao governo ele prepara a transição com um discurso de que fará “oposição construtiva” ao poder constituído. Foi com esta lenga-lenga que o marconista Talles Barreto (PSDB) carimbou o seu passaporte de adesão ao governo de Ronaldo Caiado (DEM), que sequer começou.

Bonde dos deputados que não querem perder a mamata do governo ganha reforço de Talles Barreto

Talles era vinculado ao marconismo que foi escolhido para representar a bancada ligada ao Palácio das Esmeraldas na sessão que abriu 2018 na Assembleia Legislativa. A eleição de Ronaldo Caiado (DEM) fez o deputado trocar de camisa da noite para o dia. Ao jornal Opção ele disse: “Vou contribuir [com o governo] porque eu tenho uma admiração pelo Caiado. Vou fazer uma oposição construtiva”.