Fabiana Pulcineli desnuda o Ministério Público: “Só maus exemplos, privilégios, benefícios, relações pouco republicanas e patrimonialismo”

Imprensa, Opinião

Tradicionalmente, os artigos da repórter política Fabiana Pulcineli em O Popular são comemorados nas redes sociais pelos membros do Ministério Público, que retuitam com grande estardalhaço suas críticas à classe política.

Mas, nesta segunda-feira, o feitiço virou-se contra o feiticeiro. O tema de Fabiana Pulcineli é o festival de “maus exemplos, privilégios, benefícios, relações pouco republicanas e patrimonialismo” que o Ministério Público vem dado no Brasil e especialmente em Goiás.

A jornalista enumera com precisão uma enorme lista de vantagens, a maioria absurdas, que o Ministério Público reserva para os seus integrantes, tudo, é claro, por conta do meu, do seu, do nosso dinheiro – ou seja, dos cofres públicos.

Em vez de cumprir sua missão de zelar pelo respeito à lei e pela moralidade pública, promotores e procuradores preferem se engajar na defesa de seus interesses salariais, criação de cargos comissionados, diferenças astronômicas que fazem os vencimentos subir em mais de 50% e outros penduricalhos que envergonham a categoria, escreve a jornalista.

Nesta manhã de segunda, a turma do MP – estadual e federal – está caladinha. Ninguém retuitou o artigo de Fabiana Pulcineli.