Na manchete, Popular informa prisões que aconteceram há mais de 24 horas

O jornal O Popular deu mais uma prova, nesta quarta-feira, de que não conseguiu se adaptar aos novos tempos. A manchete é a prisão de fiscais do Inmetro que recebiam propina para fazer vistas grossas à adulteração de combustível em postos do Estado. As prisões aconteceram há mais de 24 horas e, desde então, foram exaustivamente noticiadas por todos os veículos de comunicação do Estado.

A escolha da manchete só se justificaria se o Pop trouxesse informações novas, o que não aconteceu. Tudo que está na reportagem foi dado pelos sites e pela própria TV do grupo Jaime Câmara, a TV Anhanguera.

Repetiu-se algo que tem acontecido com frequência: o Popular chegou às bancas velho. Tão caduco que parece no leito da morte.

Em tempo: o grupo Zahran, novo dono da GJC, já sinalizou que não tem interesse em sustentar o Pop.

Compartilhe