O Popular perde leitores e credibilidade, mas seus jornalistas se dão ao luxo de brincar de Manhattan Connection, sem o talento da turma global, claro

Enquanto o Grupo Jaime Câmara (GJC) enxuga o quadro de funcionários de O Popular na tentativa de evitar o fechamento do jornal, os jornalistas de O Popular desafiam a paciência de seus leitores brincando de Manhattan Connection, sem a devida competência, é claro.

Essa é a “pegada” do tal Happy Hour da notícia, que reúne o pretenso time de melhores jornalistas de O Popular para discutir os temas que foram destaque na semana. É um festival de obviedades, informações requentadas e nenhuma novidade.

O tema da semana foram os cortes determinados pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL) na Educação. Leitor nenhum vai acreditar que os jornalistas do Popular, muito longe do centro nervoso da informação de Brasília, vão ter informação mais útil e relevante sobre o tema que a imprensa nacional.

Assim fica difícil salvar o jornal do fim.