Inédito: em queda nas pesquisas de popularidade, Paulo Garcia diz que pode disputar o Governo

Com uma queda de 13 pontos na Pesquisa Serpes que mede a aprovação da sua administração, o prefeito Paulo Garcia apareceu nesta sexta-feira no Diário da Manhã dizendo que pode ser candidato a governador.

Na verdade, não disse. Mas o título de primeira página do DM diz que Paulo Garcia disse. Quem lê a entrevista vê que ele não teve coragem de dizer, apenas disse que não tem bola de cristal e que no futuro tudo pode acontecer.

Com o volume de problemas enfrentados pela Prefeitura e que levam o prefeito a ser acusado de omissão, amadorismo, falta de diálogo e arrogância (leia o artigo de Fabiana Pulcineli na última segunda-feira em O Popular) e em queda nas pesquisas, como é que um político pode pensar em ser candidato a governador?

O que é que Paulo Garcia diria na campanha? Que melhorou o transporte coletivo de Goiânia? Que tem o costume de ouvir a sociedade para tomar decisões importantes como a “flexibilização” que arruinou o Plano Diretor? Que resolveu o problema do mau atendimento dos Cais e dos Ciams? Que nunca mais uma gestante vai ser obrigada a dar à luz na recepção de uma maternidade municipal?

Bem, o DM diz que Paulo Garcia disse que pode ser candidato, mas ele, não verdade, não disse.

Não teve é coragem.

 

LEIA MAIS:

Crise no Paço Municipal: Paulo Garcia convoca equipe para tentar deter queda de popularidade

Luz amarela no Paço: Paulo Garcia reúne equipe de última hora para avaliar queda acentuada em pesquisa

Conselho de Fabiana Pulcineli a Paulo Garcia: “Menos amadorismo, mais diálogo e menos arrogância”

Da eleição até hoje, Paulo Garcia despencou nas pesquisas e aprovação caiu de 45,2 para 32,5

Aprovação de governo: Paulo Garcia cai quase 5 pontos. Marconi sobe 1,7

Pesquisa Serpes: 67,1% da população consideram o transporte coletivo péssimo e ruim