Em meio a denúncias de gestão temerária, Enel firma parcerias com o Tribunal de Justiça. Encontro é condenável

Com o prenúncio de que a CPI da Enel vai concluir pelo fim do contrato com o governo estadual, o que deve implicar verdadeira guerra nos tribunais, o comando do Tribunal de Justiça de Goiás está sendo no mínimo imprudente ao fazer parcerias institucionais com a empresa de energia elétrica.

A notícia foi publicada no Twitter do Tribunal de Justiça e repercutiu muito mal na Assembleia Legislativa.

Só para lembrar: a Enel contratou para defendê-la na CPI a banca do presidente da OAB-GO, Lúcio Flávio.