Jânio Darrot considera “tese absurda” fim da extensão do Eixo Anhanguera até Trindade, Goianira e Senador Canedo

O prefeito de Trindade e presidente da Câmara Deliberativa de Transportes Coletivos (CDTC), Jânio Darrot, contestou, nesta quinta-feira (20/6), as declaração do presidente da Metrobus, Paulo César Reis, no sentido de acabar com o benefício da extensão do Eixo Anhanguera até os municípios de Trindade, Goianira e Senador Canedo. As informações foram veiculadas pelo jornal O Popular.

Jânio Darrot defende a manutenção do serviço que atente diariamente milhares de usuários do transporte coletivo da região Metropolitana de Goiânia. Ele alerta que o fim do benefício afetará, diretamente, a vida de milhares de trabalhadores que dependem do sistema.

“Não creio que o governador Ronaldo Caiado concorde com a tese absurda do presidente da Metrobus, Paulo César Reis, segundo a qual parte do déficit da empresa é culpa das extensões do Eixo Anhanguera”, alerta Darrot.

“Como prefeito de Trindade, um dos municípios mais prejudicados com a decisão da Metrobus, e como presidente da Câmara Deliberativa de Transportes Coletivos (CDTC), sugiro que seja feito um estudo técnico-financeiro pela Metrobus que aponte alternativas que não prejudiquem os usuários”, afirma Jânio Darrot, em nota.

“No mais, reitero a sugestão de um modelo de tributo adotado nas maiores cidades do mundo, onde os motoristas dos chamados transportes individuais pagam tributos que viabilizam subsídio para os transportes coletivos”, conclui.

Confira a íntegra da nota do prefeito de Trindade e presidente da Câmara Deliberativa do Transporte Coletivo (CTDC), Jânio Darrot:

Sobre notícia veiculada, nesta quinta-feira (20/6), no jornal O Popular, segundo a qual a Metrobus planeja suspender operações na região Metropolitana da capital, temos a informar que não permitiremos que sejam prejudicados os usuários do transporte coletivo que utilizam a extensão do Eixo Anhanguera para se deslocar no trecho que engloba os municípios de Goiânia, Trindade, Goianira e Senador Canedo.

Não creio que o governador Ronaldo Caiado concorde com a tese absurda do presidente da Metrobus, Paulo César Reis, segundo a qual parte do déficit da empresa é culpa das extensões do Eixo Anhanguera. O fim deste benefício afetará, diretamente, a vida de milhares de trabalhadores que dependem do sistema.

Como prefeito de Trindade, um dos municípios mais prejudicados com a decisão da Metrobus, e como presidente da Câmara Deliberativa de Transportes Coletivos (CDTC), sugiro que seja feito um estudo técnico-financeiro pela Metrobus que aponte alternativas que não prejudiquem os usuários.

No mais, reitero a sugestão de um modelo de tributo adotado nas maiores cidades do mundo, onde os motoristas dos chamados transportes individuais pagam tributos que viabilizam subsídio para os transportes coletivos.

Jânio Darrot
Prefeito de Trindade e presidente da Câmara Deliberativa de Transportes Coletivos (CDTC)