Justiça suspende licitação e zera o jogo na disputa pelo Porto Seco de Anápolis

A desembargadora Daniele Maranhão suspendeu a licitação do porto seco de Anápolis por 60 dias. Assim, anulou publicação da Receita Federal que havia oficializado a vitória da Aurora da Amazônia no certame.

Dessa forma, ao extinguir o processo, manteve a invalidada a Certidão de Uso e Ocupação do Solo, anulando a liminar proferida pelo juiz de Anápolis ao Grupo Aurora.

A autora do pedido da suspensão é a concorrente no processo licitatório, Porto Seco Centro Oeste S/A. Com isso, ela terá 60 dias para apresentar sua defesa pela anulação da vitória da Aurora.

Como noticiado em primeira mão pelo G24H.