Com a gestão ruim de Paulo do Vale na prefeitura, Rio Verde não terá o que comemorar no aniversário de 170 anos

No mês de agosto os cidadãos de Rio Verde vão às ruas para comemorar o aniversário do município, assinalou o Jornal Opção.

Os 170 anos serão celebrados neste ano. Porém, a festa de comemoração de 2019 não terá bolo nem presentes. Acontece que a prefeitura deu início à divulgação das festanças do mês de agosto e o resultado foi desanimador. Dentre elas: feira de artesanato, final do campeonato Rio-verdense de futebol, orquestra com violeiros, circuito musical e até campeonato de Kart.

No rodapé dos comunicados que circulam entre os rio-verdenses um discreto trecho tem chamado mais atenção: “Além disso, uma série de obras serão inauguradas durante o mês por toda a cidade”. E há, de fato, razões para tanta timidez.

A avenida Presidente Vargas, por exemplo, é a principal via do município. Apenas parte desta avenida ganhou nova pavimentação e sistema de iluminação. A “falta de boa vontade”, considera o vereador Elvis dos Brinquedos, deve ser lembrada nas próximas eleições.

Para ele, o prefeito tem “passado o batom para enganar a população”. Enquanto isso, promessas importantes como a entrega do Hospital Materno Infantil e a municipalização da água, por exemplo, são empurradas, segundo ele, rumo ao esquecimento. Quanto à última, vale destacar que ela segue na contramão do proposto: a previsão é de que a conta de água aumente no período em que se comemora o aniversário de Rio Verde.

“Tudo o que o prefeito prometeu ele não cumpriu. Como estamos nos aproximando do ano de 2020 — ano eleitoral — ele começa a distribuir tapinhas nas costas. O prefeito traz grandes duplas para cantar em um município que carece de medicamentos, médicos e outros insumos. Falta boa vontade”, desabafou o parlamentar

Questionado sobre o andamento das obras do Materno Infantil, o vereador não hesitou: “Isso só na próxima gestão”. “Ele não consegue terminar. A obra está com cerca de 60% concluída. E olha que essa foi a sua primeira promessa de campanha”, disparou.

A prefeitura do município foi procurada para comentar o assunto, no entanto, até a publicação desta reportagem, o Jornal Opção não obteve respostas. Quanto ao tradicional bolo gigante, está confirmado: Dessa vez, os rio-verdenses ficarão sem.