No dia do amigo, vale lembrar que Caiado traiu os dele: Delegado Waldir, Kajuru, Iso, Dr. Antônio e o servidor público

Neste 20 de julho comemora-se o dia do amigo. Ocasião propícia para que se reflita o que o governador Ronaldo Caiado (DEM) fez com suas amizades depois de tomar posse. 

Ninguém foi apunhalado nas costas com tanta frieza quanto o servidor público. A maioria votou em Caiado, mas já de cara ele avisou que não pagaria dezembro. Outras maldades se sucederam a esta. 

Delegado Waldir, outrora aliado fiel, diz-se traído e afirma que tomou de Caiado “um chute no traseiro”. Kajuru afastou-se do Palácio e critica os secretários estaduais todo dia – em especial a de Economia, Cristiane Schmidt. 

Iso Moreira foi trocado pelo inexpressivo deputado Paulo Trabalho (PSL), que pelo menos aos olhos de Caiado virou o único representante do Nordeste goiano no poder Legislativo.

Dr. Antônio havia feito acordos para ser presidente da Assembleia ou secretário estadual de Saúde. Não virou nenhuma coisa, nem outra. Hoje flerta com a oposição.

E Caiado, com seu jeitão atabalhoado de lidar com os amigos, está cada vez mais sozinho.