Farra de desvio de função na PM: com Caiado, cresce número de policiais em serviços internos e à disposição de assistências militares de outros poderes

Quando era oposição, o governador Ronaldo Caiado não perdia a oportunidade de criticar a retirada de policia das ruas para prestação de serviço burocráticos e até mesmo desvio para funções alheias à atividade policial, tais como assistências militares.

Pois Caiado agora está fazendo no governo tudo o pregou contra: nunca houve tantos policiais lotados no trabalho interno da PM e também à disposição de órgãos como Ministério Público, Tribunal de Justiça, Assembleia Legislativa, TCE, TCM, PGE, prefeituras  Detran, Cetran, Câmara Municipal, DGAP, Fundação Tiradentes, CASO, HPM, Gabinete Militar e Secretaria de Segurança Pública, entre outros.

Vale lembrar que qualquer servidor civil, comissionado ou terceirizado pode prestar serviço nos órgãos acima relacionados, mas ele não pode fazer trabalho de militar nas ruas.

Com esse é crescente o quadro de desvio de função, diminui a cada o número do efetivo na atividade fim, que já é pequeno e insuficiente para garantir a segurança do cidadão.

O promotor Marcelo Celestino trava guerra para reverter as situação e já alertou o governo Caiado, mas a situação piora a cada dia.