Exclusivo: sai novo Mapa do Turismo do governo federal. Pirenópolis cai e Uruaçu mantém posição

Doze municípios goianos saíram do mapa turístico de Goiás,  divulgado nesta segunda-feira pelo Ministério do Turismo. Pirenópolis caiu na classificação, já Uruaçu manteve a nota C, que foi conquistado nos tempos em que o Lago Serra da Mesa possuía um nível de água bem atrativo.
Para os técnicos e especialistas na área turística,  a cidade de Uruaçu mesmo com o baixo nível do volume de água no Lago Serra da Mesa só manteve a nota graças a Temporada de Férias com artistas nacionais criada pela atual administração, com o Arraiá do Betinho se tornando o maior arraiá do norte de Goiás, e as ações efetivas de manutenção dos órgãos de fomento ao turismo.

Goiás tem novo Mapa do Turismo

O Ministério do Turismo divulgou, nesta segunda-feira, 26, no Diário Oficial da União, o novo Mapa do Turismo Brasileiro 2019-2021. Ao todo, 2.694 cidades de 333 regiões turísticas do país foram incluídas na atualização da plataforma. Em Goiás, são 79 municípios no Mapa do Turismo. O Estado continua com 10 regiões turísticas: Vale do Araguaia, Ouro e Cristais, Chapada dos Veadeiros, Negócios e Tradições, Pegadas no Cerrado, Estrada de Ferro, Lagos do Paranaíba, Águas e Cavernas do Cerrado, Vale da Serra da Mesa e Águas Quentes. (veja mapa)

Este ano, doze municípios goianos saíram e outros oito entraram para o Mapa do Turismo Brasileiro. Os novos integrantes são: Aurilândia, Piracanjuba, Vila Propício, Caldazinha, Jandaia, Goianésia, Portelândia e Perolândia. Já os municípios de Nova Veneza, Luziânia, Pilar de Goiás, Cocalzinho, Morrinhos, Mossâmedes, Córrego do Ouro, Cidade Ocidental, São Luís de Montes Belos, Itarumã, Ipameri e Simolândia não fazem mais parte do Mapa porque não cumpriram os critérios exigidos pelo governo federal. Além da necessidade de o município ter um órgão de turismo em atividade e conselho municipal de turismo funcionando, o novo mapa adotou outros critérios obrigatórios para a participação na plataforma: orçamento próprio destinado ao turismo, possuir prestadores de serviços turísticos de cadastro obrigatório registrados no Cadastro de Prestadores de Serviços Turísticos (Cadastur), do Ministério do Turismo, e apresentar Termo de Compromisso assinado pelo prefeito.

Segundo Luciano Guimarães, integrar o Mapa do Turismo Brasileiro é fundamental para o município que pretende desenvolver seu potencial turístico. “O Mapa é uma ferramenta importante de recorte territorial que visa canalizar o uso de recursos públicos por parte do governo federal, além de ser uma grande vitrine. Infelizmente, quem saiu do Mapa deixou de considerar o Turismo como atividade prioritária”, afirmou.

O Ministério do Turismo também divulgou a nova categorização dos municípios turísticos. Sete cidades goianas caíram de posição e outras nove subiram de categoria. As notas, que vão de A até E, levam em conta a quantidade de estabelecimentos de hospedagem formais, de empregos formais nesses estabelecimentos e número de visitantes nacionais e internacionais. Este ano, o Mtur adotou um novo critério, a arrecadação de impostos federais. Com isso, Rio Quente subiu da categoria B para A, se juntando a Goiânia e Caldas Novas. A Secretária de Turismo do município, Rita Cavalcante, disse que recebeu a notícia com muita alegria. “Poucas cidades possuem essa categoria. É importante para nós porque podemos conseguir mais recursos e mais visibilidade”, comemorou. A cidade de Goiás, que este ano vai sediar vários eventos em comemoração ao Ano Cora Coralina, subiu de C para B. As cidades de Santa Cruz e São Francisco de Goiás, que realizam as Cavalhadas, também conseguiram subir uma posição de E para D. Já o município de Pirenópolis caiu da posição A para B. Segundo o gerente da Goiás Turismo, Luciano Guimarães, subir de posição mostra que a formalização e a profissionalização têm aumentado nesses municípios.