Assembleia: veja quem subiu e quem desceu na composição do ranking de relevância dos deputados estaduais

O G24H ouviu cinco jornalistas políticos que acompanham o dia a dia da Assembleia Legislativa para saber quem é quem na Casa, passado um mês do início dos trabalhos do segundo semestre.

O ranking foi dividido em cinco categorias: altíssimo, alto, médio, baixo e baixíssimo cleros. A classificação dos deputados se deu por participação no plenário e nas comissões, presença nas sessões, frequência na tribuna, apresentação de projetos relevantes, influência política nas articulações e exposição na mídia política.

No altíssimo clero, o presidente Lissauer Vieira é o destaque por consolidar a posição de independência do poder. Relator da CPI dos Incentivos, Humberto Aidar é outro que cresceu muito na avaliação dos jornalistas, o mesmo acontecendo com os oposicionistas Lêda Borges e Talles Barreto.

Na formação do alto clero, os destaques foram os deputados Gustavo Sebba e Lucas Calil, que se projetara neste início de semestre. Ele deixaram um estilo de oposição morna e passaram a atuar com mais firmeza, apresentando críticas bem fundamentadas e posicionamentos mais combativos.

O deputado Iso Moreira também foi apontado por seu poder de articulação nos bastidores. Já o deputado Vinicius Cirqueira se fortaleceu na CPI dos Incentivos Fiscais.

O deputado Wilde Cambão subiu para o médio clero ao aparecer com mais frequência na tribuna e se mostrar orador contundente na briga com o conterrâneo Diego Sorgatto.

Praticamente não houve alteração no baixo e baixíssimo cleros, com exceção do deputado Alisson Lima que foi rebaixado por fazer discursos verborrágicos no plenário, não ser articulador e não ser autor de matérias importantes.

Os deputados Amauri Ribeiro, Chico KGL e Humberto Teófilo tiveram avaliação abaixo da crítica e passaram a integrar o grupo “sem classificação”, por não alcançarem nota mínima no ranking de relevância dos parlamentares.

Confira o ranking dos deputados estaduais:

Altíssimo clero

–  Lissauer Vieira (PSB)
– Humberto Aidar (MDB)
– Talles Barreto (PSDB)
– Lêda Borges (PSDB)

Alto clero

– Bruno Peixoto (MDB)
– Henrique Arantes (PTB)
– Iso Moreira (DEM)
– Gustavo Sebba (PSDB)
– Lucas Calil (PSD)
– Vinicius Cirqueira (PROS)

Médio clero

– Antônio Gomide (PT)
– Cláudio Meirelles (PTC)
– Helio de Sousa (PSDB)
– Karlos Cabral
– Wilde Cambão (PSD)

Baixo Clero

– Adriana Accorsi (PT)
– Álvaro Guimarães (DEM)
– Coronel Adailton (PSD)
– Dr. Antônio (DEM)
– Eduardo Prado (PV)
– Major Araújo (PRP)
– Virmondes Cruvinel (Cidadania)

Baixíssimo Clero

– Alisson LIma (PRB)
– Amilton Filho (SD)
– Cairo Salim (PROS)
– Charles Bento (PRTB)
– Diego Sorgatto (PSDB)
– Henrique Cesar (PSC)
– Jefferson Rodrigues (PRB)
– Júlio Pina (PRTB)
– Paulo Cezar Martins (MDB)
– Paulo Trabalho (PSL)
– Rafael Gouveia (SD)
– Rubens Marques (PROS)
– Tião Caroço (PSDB)
– Thiago Albernaz (SD)
– Zé Carapô (SD)
– Wagner Neto (Patri)

Sem Classificação

– Amauri Ribeiro (Patri)
– Chico KGL (DEM)
– Humberto Teófilo (PSL)