Presidente da AGM volta a afirmar que municípios não têm condição de bancar iluminação das rodovias

O presidente da Associação Goiana de Municípios (AGM), Paulo Sérgio de Rezende (Paulinho), se reuniu com representantes da Enel na manhã dessa quinta-feira para debater a iluminação urbana em rodovias estaduais nos municípios da Grande Goiânia. “Os municípios, com a atual situação financeira que passam, não têm as mínimas condições de assumir mais esse compromisso. Por outro lado, se realmente isso ocorrer, a população sairá muito prejudicada com os graves riscos de acidentes”, argumentou.

No último dia 28, a Goinfra, agência do estatal que custeia esse serviço, solicitou à Enel para que seja feito o desligamento do fornecimento da energia uma vez que não mais pagará pelo benefício. Nesse caso, os custos passariam para os próprios municípios. Mesmo com um prazo de cinco dias para efetuar o desligamento, de acordo com normas da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), a Enel ainda não adotou essa medida, aguardando que aconteça uma solução sem que haja consequências para a população.

Para tanto solicitou um prazo de mais 15 dias. Os municípios que podem ser afetados são: Goiânia, Itauçu, Inhumas, Aragoiânia, Goianira, Bela Vista de Goiás e Senador Canedo. Todos eles cortados por rodovias estaduais.