Sintego se reunirá na próxima segunda-feira para decidir greve na Educação contra Caiado

Esta foi uma semana de muitos embates entre professores e Caiado. A PEC da Educação, que reduz os recursos da Educação Básica no Estado, foi aprovada mesmo com a grande mobilização feita pelo Sintego.

Na quarta-feira (11), o Supremo Tribunal Federal (STF) suspendeu o efeito da emenda constitucional 54, e com isso, o impeditivo legal para que a categoria da Educação não receba as progressões foi derrubado.

Desta forma, a diretoria Estadual do Sintego irá se reunir na próxima segunda-feira (16), às 15h, na Central Única dos/as Trabalhadores/as (CUT), para construir os próximos caminhos a serem percorridos.

No momento, o Sintego está em estado de greve. “Estado de greve é a preparação para a greve. Neste momento, é necessário a contribuição e envolvimento de todos, para mobilizarem as escolas na construção da greve”, segundo a entidade.

Também é o momento que governo tem de garantir os direitos dos profissionais, de acordo com a lei, como o reajuste do piso salarial aos professores, a data-base aos administrativos e as progressões; e assim evitar que a categoria entre em greve.