Mentira que não acaba mais: ouça entrevista em que Caiado promete não intervir na UEG

O governador mentiu em entrevista à rádio CBN Goiânia no dia 29 de março deste ano, quando prometeu que não nomearia interventor para Universidade Estadual de Goiás (clique aqui para ouvir). Na época, ele disse: “De maneira alguma. Eu já fui professor na UFRJ e não vou indicar nenhum interventor. Isso é uma decisão que cabe ao colegiado (Conselho Universitário) e não ao governador. Eu respeito a autonomia universitária e cabe a eles dizer o que desejam e que deverão responder pela vacância do cargo”.

Em 20 de setembro de 2019, 01 dia após a renúncia do reitor interino da UEG, Ivano Devilla, o Governador Caiado, em entrevista às rádios Brasil Central e RBC FM, disse:

“A gestão do governo Ronaldo Caiado tem que obedecer regras constitucionais. Eu sou um homem que vem de uma vida universitária, fui assistente de professor na UFRJ, fui parlamentar durante 24 anos. Então eu sei o que reza a constituição, que é a autonomia administrativa, financeira e curricular das universidades. O que sempre causou estranheza é que Goiás a universidade sempre teve uma vertente dependente do governador, o que é uma situação totalmente inconstitucional. O Governador tem que respeitar as decisões para que aí sim a universidade saiba qual é o meu melhor projeto, qual é a situação que deve ser proposta na melhoria da qualidade de ensino e dos cursos.

A autonomia (universitária), ela tem que ser resguardada. Quando eu fui informado ontem da renúncia do reitor. Não tem ninguém na linha sucessória. Convoquei todos meus secretários que me trouxessem todas as alternativas, neste momento, já que diante dessa vacância e não tem ninguém na linha sucessória, quais são as ações como governador de estado que devo tomar.

No fim da tarde eu recebo a informação da renúncia daquele que respondia pela reitoria. Esse lado terá todo meu apoio.

Saindo daqui do evento, do Corpo de Bombeiros, eu estou com todos esses secretários reunidos, vou ver o que é que existe nesta vacância toda. Quais são as ações que eu devo tomar nesses próximos minutos e aí eu encaminharei a decisão.”