Ao atacar CPI e Caiado, Chequinho não mostra equilíbrio e inteligência para ser diretor da Adial

É opinião geral  entre empresários, deputados e caiadistas que o diretor da Adial, Edwal Portilho, perdeu a estribeira no debate sobre os incentivos fiscais, mostrando desequilíbrio e até burrice na escalada de ataques a deputados da CPI e ao governo Caiado. “Ele perdeu rumo e  não tem mais as mínimas  condições de ser o interlocutor da entidade”, avalia um empresários ouvido pelo G24H. “Faltam equilíbrio inteligência emocional  a ele”, opina um parlamentar do alto clero da Assembleia que atuava para amenizar o clina contra os incentivos fiscais, mas se diz prejudicado nas ações pela incontinência verbal de Chequinho. “Se rebelou um falastrão desastroso que fechou as portas para qualquer diálogo”, diz um assessor caiadista.
Enfim, um verdadeiro elefante numa loja de louças.