Garcia não tem condições de pagar multa de quase R$ 400 mil: “É muito alta”, diz procurador geral da Prefeitura

O procurador-geral da Prefeitura de Goiânia, Carlos de Freitas, disse ao Jornal Opção que o prefeito Paulo Garcia (PT) não tem condições financeiras para pagar os quase R$ 400 mil de multa que a Justiça Estadual impôs a ele por cometer graves irregularidades na aprovação do novo Plano Diretor da capital.

O juiz Fabiano Abel de Aragão Fernandes, da 2ª Vara da Fazenda Pública Municipal, condenou Paulo Garcia a pagar uma multa correspondente a 20 vezes o valor do seu salário atual, o que soma quase R$ 400 mil.

Isso porque, segundo o site oficial da Prefeitura de Goiânia, o prefeito recebe mensalmente R$ 19.237,24 – o que, multiplicado por 20, dá o valor exato de R$ R$ 384.744,80.

A multa, segundo o procurador-geral Carlos de Freitas, é muito alta e não atenderia ao princípio da proporcionalidade: “Como seria possível o prefeito suportar 20 meses sem receber sua remuneração? É um valor extremamente desproporcional”, lamenta ele.

 

LEIA MAIS:

Procurador de Paulo Garcia ironiza, peita juiz e classifica a decisão de “esdrúxula e inovadora”

Sentença de juiz sobre Paulo Garcia ensina prefeito sobre como deixar um “belíssimo legado às próximas gerações”

O Popular dá em primeira página condenação de Paulo Garcia por improbidade administrativa

Condenação de Paulo Garcia por improbidade continua repercutindo na imprensa. Agora, é o G1, da Globo, que publica a sentença da Justiça

Condenação de Paulo Garcia por improbidade ganha destaque no Terra, site de notícias nacional

Ação sobre Plano Diretor: juiz acata pedido do MP e dá lição de moral em Paulo Garcia

Multa aplicada a Paulo Garcia por não cumprir a lei ao aprovar novo Plano Diretor é de quase R$ 400 mil