Mesmo com a mamata dos incentivos fiscais, indústrias goianas ficam estagnadas

Segundo dados divulgados pelo IBGE, o crescimento da produção industrial goiana de 0,2% mostra que o setor está estagnado, apesar da mamata dos incentivos fiscais.

O presidente do Sifaeg não ficou nem um pouco corado em afirmar que os números divulgados das indústrias de Goiás são positivos. “É melhor um crescimento pequeno do que crescimento nenhum”, disse à moda do conselheiro Acácio, do livro Primo Basílio, de Eça Queirós.

Rocha deveria se desculpar com os goianos: com a renúncia fiscal astronômica praticada pelo governo de Goiás, a estagnação das indústrias é sinal que tem gente ganhando muito dinheiro sem a contrapartida em produção e emprego.

Mas o acaciano Rocha não se aperta. Para ele, a culpa pelo desempenho ruim do setor industrial em Goiás é da CPI dos Incentivos Fiscais, que está gerando insegurança jurídica e travando novos investimentos.

Ah, bom!