Falso moralista: padre que condenou apresentador Matheus Ribeiro era funcionário fantasma da Assembleia. Assista

O padre Luiz Augusto que condenou apresentador da TV Anhanguera Matheus Ribeiro por declarar a homossexualidade era funcionário fantasma da Assembleia Legislativa.

O religioso foi denunciado pelo Ministério Público e responde na Justiça por crime peculato por receber do Poder Público quase 20 anos sem trabalhar.

Ele também foi julgado pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE), que determinou a devolução de R$ 1,3 milhões recebidos irregularmente na Assembleia.

O caso do padre Luiz Augusto foi parar na televisão e curiosamente foi reportagem principal no  telejornal apresentado por Matheus Ribeiro na TV Anhanguera.

Assista: