CPIs instaladas na Assembleia viram mercado milionário para advogados em Goiás

As CPIs instaladas na Assembleia Legislativa para investigar serviços da Enel e a concessão de incentivos fiscais pelo governo estadual aos mega empresários viraram mercado milionário para advogados em Goiás.

Na CPI da Enel, o advogado contratado pela empresa elétrica foi o o presidente da OAB-GO, Lúcio Flávio Paiva, que estaria recebendo honorários de R$ 6 milhões.

Já na CPI dos Incentivos Fiscais, o destaque fica para outro nome ligado à OAB-GO, o advogado e ex-presidente da entidade, Felicíssimo Sena, que escoltou o vice-presidente da HPE-Mitsubishi/Suzuki, Ailton Bonfim, na oitiva desta segunda-feira (4).

Pelo visto, grandes empresas não estão economizando para pagar medalhões para defendê-las nas CPIs.