Prefeito diz que falta de gestão da Codego deixou 30% dos anapolinos sem água

O prefeito de Anápolis, Roberto Naves, disse à Rádio Sagres 730 nesta terça-feira (5) que 30% da população anapolina, estimada pelo IBGE em 386 mil pessoas em 2019, ficaram sem água neste período de seca. São os moradores da região sul da cidade, abastecidos pelo sistema de captação e distribuição de água da Companhia de Desenvolvimento do Estado de Goiás (Codego) no Distrito Agroindustrial de Anápolis (Daia) e comprada pela Saneago.

O prefeito observou que, historicamente, faltava água no período da seca na região norte de Anápolis, que é abastecida pela água captada no Ribeirão Piancó. Em 2017, a Saneago fez um investimento para transposição de água do Ribeirão Capivari para o Piancó e pela primeira vez, em 2019, não faltou água nessa região da cidade. “No entanto, fomos surpreendidos com a falta d’água na outra região da cidade”, disse Roberto Naves.

Ele afirmou que faltaram gestão e investimentos por parte da Codego para aumentar a capacidade do reservatório localizado no Daia. “Quando fomos informados o sistema já estava em colapso”, disse. O reservatório abastecido pelo Rio Caldas secou, afirmou. “A Codego vende água para a Saneago e quando ela comunicou o problema a Saneago o sistema já estava em colapso”, observou.