Efeito Bolsonaro: preço do diesel no Brasil já supera nível pré-greve dos caminhoneiros e paralisação é marcada para o dia 16

O preço médio do litro do diesel nas bombas de combustíveis no Brasil passou dos R$ 3,70 e já supera o patamar da semana que antecedeu a greve dos caminhoneiros no ano passado.

De acordo com dados da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis), o litro do diesel era comercializado na semana passada em média por R$ 3,708. Entre setembro e os primeiros dias dezembro, o indicador registrou 11 altas consecutivas.

O valor atual desembolsado pelo litro do combustível é 3,28% maior do que os cerca de R$ 3,59 cobrados pelos comerciantes na semana encerrada no dia 19 de maio do ano passado, aquela que antecedeu a paralisação dos motoristas, iniciada no dia 21 daquele mês.

Na análise por Estado, é possível ainda verificar uma diferença de 35% no valor médio cobrado pelo litro do diesel nos postos do Paraná (R$ 3,484) e do Acre (R$ 4,723). A variação entre o preço máximo e mínimo do combustível nos estabelecimentos consultados pela ANP também chama atenção ao oscilar de R$ 3,17 (Paraná) a R$ 4,95 (Tocantins).

Com as altas recentes, a possibilidade de uma nova greve voltou a ser cogitada da categoria. O líder dos caminhoneiros Marconi França afirma que os motoristas “estão pagando para trabalhar” e classifica como “inevitável’ uma nova greve no momento atual. “Nós vamos cruzar os braços em 16 de dezembro, por necessidade, não porque queremos”, destaca ele, que garante já contar com o apoio de mais de 70% dos 4,5 milhões de caminhoneiros brasileiros.