CPI dos Incentivos Fiscais: custo de emprego de empresas com incentivos fiscais chegou a R$ 10 milhões por ano, diz Aidar

O custo de cada emprego gerado por algumas empresas que receberam incentivos fiscais para se instalar em Goiás foi superior a R$ 10 milhões/ano. O absurdo foi apontado no relatório da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Assembleia Legislativa que investiga a concessão de incentivos fiscais no Estado, lido na tarde desta terça-feira (10) pelo relator, deputado Humberto Aidar (MDB).

De acordo com Aidar, o alto custo anual médio de emprego de três grupos de empresas chamou a atenção da CPI, cujo relatório aponta que, em um caso, o custo de cada emprego chegou a R$ 833 mil por mês. O texto cita ainda outros dois casos em que cada emprego gerado teria custado, em média, entre R$ 83 mil e R$ 833 mil por mês.

Entre as recomendações feitas, no relatório, ao Ministério Público está justamente a quebra do sigilo fiscal e bancário das empresas cujo anual médio por emprego ultrapassou os R$ 1 milhão. A quebra envolveria também os contratos (TARE’s) e projetos eventualmente apresentados por elas, dados os “indícios de aplicação indevida dos recursos oriundos de incentivos fiscais e grave prejuízo ao erário estadual.”