Diante do novo decreto de Caiado, Sandro Mabel diz que será muito difícil segurar empresários e comerciantes em Goiás

Em entrevista coletiva nesta sexta-feira (3) após anúncio do novo decreto do governo de Goiás, o presidente da Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg), Sandro Mabel, disse que a posição assumida pelo governador Ronaldo Caiado causou uma “frustração sem tamanho”.

“O meu telefone está ficando vermelho de tanto tocar, porque as pessoas querem saber o que fazer”, disse o presidente da Fieg. “Com a condição que foi imposta por Caiado, vai ser muito difícil segurarmos o pessoal de abrir as portas de seus comércios”, alertou.

Segundo Mabel, a decisão de Caiado não segue a nota técnica assinada pelo secretário da Saúde em Goiás, Ismael Alexandrino. “Não se trata de um decreto técnico, mas sim de um decreto político”, avaliou.

“Ajudamos a todos até o último momento. Agora, sinto que não temos mais o que fazer”, comentou Mabel. O presidente da Fieg ainda afirmou que cerca de 15 mil Cadastros Nacionais de Pessoa Jurídica (CNPJs) foram cancelados durante o período de quarentena em Goiás.

“Vamos seguir com o diálogo, mostrar nosso lado para o governador. Queremos mostrar que se precisa do respirador tanto para pessoas quanto para empresas”, concluiu Mabel.

Além de  Sandro Mabel, participou também da coletiva o presidente da Federação do Comércio do Estado de Goiás (Fecomércio-GO), Marcelo Baiocchi.