AD

Doria anuncia que alunos da rede estadual em São Paulo terão aula pela televisão. Já em Goiás, Caiado só reclama…

O governador João Doria (PSDB) anunciou nesta sexta-feira (3) que os 3,5 milhões de alunos da rede estadual de São Paulo terão aulas ao vivo por canal de televisão aberta. As atividades nesse modelo não serão descontadas das 800 horas letivas anuais exigidas por lei.

As aulas presenciais no estado estão suspensas desde 23 de março para conter o avanço da epidemia do coronavírus. Doria reforçou que as escolas particulares e públicas devem continuar fechadas. “As aulas não podem ser retomadas sem autorização do governo do estado. Nesse momento, as aulas de todos os níveis estão impedidas”, disse.

As videoaulas serão transmitidas em uma plataforma digital e por um canal aberto da TV Cultura a partir de segunda-feira (6). Por dia, será disponibilizada uma programação de 10 horas de conteúdo escolar para estudantes do ensino fundamental e médio.

A rede estadual paulista adiantou o recesso escolar, que segue até o próximo dia 20 de abril. Segundo o secretário de Educação, Rossieli Soares, as aulas transmitidas nesse modelo não serão contabilizadas para o cálculo das horas letivas. “As atividades letivas só serão discutidas após essa data, mas isso não significa que até lá não possamos dar a oportunidade de estudar às nossas crianças”, disse.

Além do acesso pela televisão, os estudantes também podem assistir ao conteúdo por uma plataforma digital e interagir com os professores por um aplicativo. Segundo o secretário, uma parceria com empresas de telecomunicação vai liberar acesso de rede para o uso das tecnologias digitais.

Ou seja, o estudante não precisa usar a internet de casa ou o pacote de dados móveis de seu celular para acessar as plataformas. “Sempre que o aluno logar nesse aplicativo, ele não gasta a internet dele. Sabemos que o grande desafio hoje é internet, não aparelhos de celular.

Ainda segundo o secretário, alunos de escolas particulares e das redes municipais de ensino também podem assistir às aulas. Soares informou que a pasta planeja produzir também conteúdo para a educação infantil, em parceria com a secretaria de educação do município de São Paulo.