Delegado Eduardo Prado requer cancelamento de contratos para compras de frutos do mar para o palácio das esmeraldas 

O deputado estadual Eduardo Prado mandou um ofício ao Ministério Público pedindo o cancelamento definitivo do contrato do governo de Goiás com a Ingá Comercio e Serviços EIRELI, que receberia mais de meio milhão com a venda de frutos do mar para a mesa do governador Caiado. Após o escândalo denunciado pelo G24h e pelo parlamentar, o governador suspendeu o contrato por
120 dias.
O deputado, primeiro parlamentar a denunciar o escândalo do palácio, quer assegurar que o Governo de Goiás não gaste com algo supérfluo diante da pandemia do coronavírus, já que ameaça cortar parte das remunerações dos servidores mais humildes, de policiais, enfermeiros e manter a mordomia. “Conforme já divulgado, o Governo Estadual pretende cortar 30% dos
gastos durante a crise. E pode ser que haja suspensão, parcelamento ou redução da
remuneração de servidores públicos, como solução para equilibrar os reflexos
econômicos decorrentes da pandemia do novo coronavírus (Covid-19)”, analisa.
AUSTERIDADE
Prado cita os princípios da moralidade e razoabilidade para que o MP-GO
intervenha pelo cancelamento dos contratos. “Neste momento de medidas de
austeridade o governo somente suspender o processo licitatório para compra de R$
611.400,00 vai na contramão dos esforços empreendidos para reduzir o impacto da
pandemia na economia do Estado”, finalizou