Bolsonaro inverte tudo e agora acusa governadores de autoritários e de conspirarem contra o Estado Democrático de Direito

O presidente Jair Bolsonaro usou as redes sociais para retaliar os governadores que se levantaram contra o decreto dele de tornar salões de beleza e academias em atividades essenciais e acusou os gestores estaduais no início da tarde desta terça-feira (12) de “afrontar o estado democrático de direito”.

Na postagem, Bolsonaro disse que “os governadores que não concordarem com o decreto podem ajuizar ações na Justiça ou, via congressista, entrar com Projeto de Decreto Legislativo”.

No entanto, ele enfatizou  que a ação “aflora o indesejável autoritarismo”.

Ele ainda acrescentou que o decreto de atividades essenciais tem como objetivo é atender “milhares de profissionais, em sua maioria humildes”.

Governadores dos Estados de São Paulo, Pernambuco, Bahia, Maranhão, Ceará, Rio de Janeiro, Pará e o prefeito de Manaus salientaram que não irão acatar a decisão de Bolsonaro.

O decreto de Bolsonaro foi publicado no Diário Oficial da União no momento em que o ministro da Saúde, Nelson Teich, dava entrevista coletiva no Planalto, nesta segunda-feira (11).