Caiado dá uma de Pllatos e lava as mãos na crise da covid-19: “Eu me curvo à decisão dos prefeitos”

Em reunião com 32 prefeitos de municípios goianos, transmitida ao vivo pelo Facebook, no final da tarde desta segunda-feira, 18, o governador Ronaldo Caiado (DEM) disse que irá se curvar à decisão dos mandatários locais. Ele também falou que houve politização da pandemia de coronavírus e que decreto poderia virar “letra morta”.

Caiado alertou para a possibilidade de haver aumento de contaminação por coronavírus a partir da Região Norte do país. O que pode deixar o sistema de saúde do norte goiano colapsado. O governador salientou que várias cidades do Tocantins já decretam lockdown devido o crescimento de casos de Covid-19 no Pará.

Assim, municípios como Porangatu e Campos Belos de Goiás, na divisa com o Tocantins, ficariam desassistidos, pois não há leitos e equipamentos suficientes na região.

“Não adianta ter excesso de leito em Goiânia. Um doente de síndrome respiratória aguda grave não aguenta uma viagem de 500 km a partir do norte goiano”, explicou. “Não temos regionalização no nosso sistema de saúde. Só temos hospitais de média e alta complexidade em Goiânia, Aparecida de Goiânia e Anápolis”, apontou o governador.

Caiado, no entanto, salientou que vai fortalecer os hospitais dos pontos considerados mais críticos do estado. “Como governador vou atuar nas regiões mais críticas, como o Entorno, e abrir o mínimo de apoio de Porangatu. Não tem como atender de imediato a Campos Belos, infelizmente. São Luiz de Montes Belos vou tentar dar um suporte”.

Fechando a sua fala, Caiado malandramente  lavou as mãos e assinalou: “Eu me curvo à decisão do prefeitos”