Com a Câmara fechada, deputados federais goianos torram R$ 729 mil durante pandemia; Professor Alcides foi quem mais gastou

Levantamento do site Mais Goiás apurou que os deputados federais de Goiás já gastaram R$ 729 mil da verba relativa a cotas parlamentares entre os meses de março e maio de 2020, período em que o Congresso funcionou em sistema remoto por causa do coronavírus.

O campeão de gastos foi o deputado professor Alcides (PP). Ele embolsou R$ 86 mil entre março e maio deste ano.  O segundo deputado que mais usou cota foi Adriano do Baldy (PP): R$ 65 mil.

Francisco Júnior (PSD) teve gasto de R$ 64 mil; Célio Silveira (PSDB) e Rubens Otoni (PT) torraram R$ 61 mil.

A Cota para o Exercício da Atividade Parlamentar – CEAP (antiga verba indenizatória) é uma verba mensal destinado a custear os gastos dos deputados exclusivamente vinculados ao exercício da atividade parlamentar.

Os dados estão disponíveis no Portal da Transparência da Câmara Federal, e dizem respeito pagamentos feitos pela Casa referentes a manutenção de escritório fora de Brasília, divulgação de atividade parlamentar, custos com telefone, serviços postais, hospedagem, combustíveis e consultorias.