Anápolis: com contas no azul, Prefeitura consegue enfrentar com sucesso a Covid-19

Num cenário econômico difícil em que o mês de abril jogou pra baixo as receitas no primeiro quadrimestre de 2020, os pilares das finanças da prefeitura Municipal de Anápolis permanecem no azul, não só respeitando a legislação fiscal como os investimentos superiores às determinações. A boa gestão passa por um longo dever de casa e um trabalho minucioso na flexibilização dos investimentos em momento de pandemia.

Mesmo com a queda de arrecadação dos tributos, que somente no mês de abril, foi de R$ 20 milhões – diante das previsões da equipe financeira feitas anterior ao da pandemia –  os investimentos nas áreas de educação e saúde continuam muito superiores aos que preconizados por leis – de 29,87% ante 25% e 27,2% ante 15% – respectivamente. Vale ressaltar que, do último quadrimestre pra cá, já dá para sentir investimento contínuo na área da saúde para combate a Covid-19.

“Temos de calibrar saúde e economia e essa é uma linha uma tênue e a pessoa tem que estar muito preparada e antenado com tudo o que está acontecendo para tomar as decisões corretas e na hora certa. E o prefeito Roberto Naves está fazendo isso”, diz o secretário de Fazenda, Marcos Abrão. O gasto com pessoal, considerado um dos pontos nevrálgicos das finanças de todas as esferas por especialistas da área na atualidade, atinge 49,35%, bem inferior do que o permitido pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF)

O secretário destaca ainda que o cuidado terá que ser maior daqui pra frente, já que a queda na arrecadação será sentida de forma mais brusca daqui pra frente. “Mas isso é matemática e vamos conseguir cumprir compromissos com folha e outras áreas. Mas imaginem se isso tivesse acontecido lá atrás, quando pegamos a prefeitura. Quando R$ 7 milhões eram direcionados para a construção de uma Câmara e não em saúde, quando não havia UPA com perfil pediátrico, quando não tínhamos todas as unidades de saúde com horário estendido”, diz o prefeito de Anápolis, Roberto Naves.