Rádio Verde Vale, de Rio Verde: “Chamado de bandido por Jorge Caiado, secretário de SeguranCa terá que se explicar”

O titular da Secretaria de Estado da Segurança Pública de Goiás (SSP), Rodney Miranda, enfrenta o que pode ser sua maior crise desde que assumiu a pasta no governo Caiado. Após um polêmico vazamento de áudio em que Jorge Caiado, primo do governador de Goiás, acusa o secretário de Segurança de ter grampeado seu telefone e de ter desviado verba pública, Miranda foi convocado na Assembleia Legislativa para se explicar. Um deputado já adianta: não há clima para mantê-lo no cargo, informou a Rádio Verde Vale, de Rio Verde.

Segundo a emissora,  agravamento da crise explodiu com o vazamento, na última quinta-feira (4), do áudio em que Jorge Caiado, que é primo de Ronaldo Caiado, profere uma série de ofensas e acusações contra Miranda. Segundo ele, o secretário teria grampeado seu telefone ilegalmente com a finalidade de investigá-lo. Além disso, ele acusa Miranda de ter desviado o valor de R$ 1 milhão do Corpo de Bombeiros.

O presidente da Comissão de Segurança Pública da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), deputado Delegado Eduardo Prado (sem partido), interviu na polêmica e declarou que como parlamentar e presidente da Comissão de Segurança Pública não poderia assistir inerte o desenrolar dos fatos.

O deputado conta que uma convocação já havia sido aprovada pelos deputados para que Miranda comparecesse à Alego para tratar de questões relativas ao concurso de delegado de Polícia Civil, mas com as acusações de Jorge Caiado, segundo ele, o secretário de Segurança precisará dar explicações.

Para Prado, a situação de Miranda na SSP tornou-se insustentável após o vazamento do áudio. “Não tem clima pra mantê-lo [no cargo de secretário], está bem complicado”, disse.

A data marcada para a ida de Rodney Miranda na Alego foi o dia 11/6, quinta-feira. Entretanto, conforme Prado, se trata de um feriado, o secretário deve comparecer na quarta-feira (10/6). Além dele, Prado também confirmou que Jorge Caiado foi convidado para explicar as acusações para os deputados.