No Pequeno Expediente, Lêda Borges fala dos secretários Rodney Miranda e Marcos Cabral

A deputada Lêda Borges (PSDB) fez críticas a dois fatos ocorridos no governo Caiado, que classificou como gravíssimos envolvendo Rodney Miranda na SSP e Marcos Cabral na Codego.

“No caso da Secretaria de Segurança Pública está bem claro que o governador jamais permitiria um pedido de férias do secretário Rodney (Miranda). Na verdade, o secretário exigiu esse pedido de férias do governador”, assinalou

E completou: “Quem conhece o Caiado nas tribunas do Parlamento, como deputado ou senador, sabe que ele demonstrava ojeriza a qualquer indício de corrupção. Agora estamos vendo um secretário tirar férias em um momento de investigação. É muito grave isso que está acontecendo, isso demonstra que ‘onde há fumaça, há fogo’. O certo seria exonerar o secretário.”

A deputada disse  que “o outro caso grave é do secretário Marcos Cabral, que saiu da Secretaria da Cidadania queimado. Agora, na Codego, sai porque o indício é de corrupção e o parecer do Pedro Salles (sobre a venda da área) sumiu do Governo. Mais grave ainda é ele ser nomeado para outro cargo nesse mesmo governo”, denunciou Lêda.

“Esse Governo chegou a pagar uma matéria da TV Record no início desse governo para me difamar, sempre buscaram corrupção no PSDB com mil auditorias, mas agora isso está acontecendo é dentro do governo Caiado”, finalizou.