Pousadas de Pirenópolis culpam prefeito e começam a demitir centenas de funcionários

Com a recusa da prefeitura em definir uma data para a retomada do turismo, as pousadas de Pirenópolos começaram a demitir funcionários na tarde desta sexta-feira (19). O setor turístico emprega mais de 3 mil trabalhadores na cidade.

O Grupo Villa do Comendador, que reúne três pousadas de luxo, por exemplo, está desligando 202 funcionários e continuará com apenas 48 para manutenção e treinamento futuro. A Pousada dos Pirineus demitiu 150 funcionários, a Vila das Pedras 47 e a Cavaleiros dos Pirineus 30., entre outras.

O prefeuto João do Leo (DEM) deixou claro após o protesto dos trabalhadores do turismo na porta da prefeitura, na última segunda-feira, que não tem intenção de abrir a cidade para visitantes e que não vai ceder às pressões dos donos de pousadas, bares e restaurantes.
Em live no final da semana passada, João do Leo afirmou que prefere 3 mil desempregados à uma morte por covid-19. Em negociações, empresários, trabalhadores e prefeitura não chegaram a um acordo.
O desemprego vai espalhar fome em centenas de famílias na cidade.