Comércio fechado: Baiocchi lamenta decisão da Justiça e avisa que entidades comerciais vão recorrer

A liminar da Justiça de Goiás anulando o decreto municipal que previa a reabertura de setores da economia nesta segunda-feira na Capital em Goiânia pegou a todos “de surpresa”. Líderes de entidades que representam o comércio indicaram que pretendem recorrer da decisão.

Presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Goiás (Fecomércio-GO), Marcelo Baiocchi acredita que muitos comerciantes devem abrir as portas nesta segunda-feira (22), por não estarem sabendo da liminar que foi anunciada na última noite. Essa inclusive é uma orientação da própria Fecomércio. “Nossa recomendação é que o comércio funcione normalmente hoje. O que vale é o decreto do município”, pontuou.

Baiocchi lamentou a decisão judicial, e a chamou de “surpresa muito ruim” que prejudica os empresários goianienses, que já estão prontos para funcionar seguindo protocolos de segurança. “Estamos cumprindo rigorosamente o que prevê o decreto de abertura. É uma interferência de poderes. Estão interferindo na capacidade de gestão do Executivo”, completou.

Na mesma linha, o presidente da Associação Comercial, Industrial e de Serviços do Estado de Goiás (Acieg), Rubens Fileti, disse que a liminar causa estranheza e frustração. “Hoje vai ser um dia muito pesado. Ficamos a madrugada toda trabalhando nas estratégias judiciais. Estamos tomando todas as medidas para que a situação seja revertida”, afirmou.

Fileti defende a retomada do comércio de acordo com as regras previstas no decreto municipal nº 1.187, de 19 de junho de 2020. “O que a gente quer é que a flexibilização seja feita com responsabilidade.”

(com informações do jornal A Redação)